Assistência 24h

​Empresa de planos funerários tem aumento de 150% no faturamento
Seg - Setembro 9, 2019 6:54 pm  |  Artigo Acessos:403  |  A+ | a-
Fonte: G.R - Revista Apólice

Além de ser reflexo da mudança no comportamento, devido à incerteza em relação à segurança, presidente da Riopae, Marcelo Carvalho, acredita que o valor agregado ao serviço potencializou o interesse do público.

A procura por planos funerários populariza-se no Rio de Janeiro. Nos últimos cinco anos, houve um aumento de 150% no faturamento da instituição, segundo o balanço feito pela Riopae, empresa de assistência familiar. Apenas no primeiro trimestre deste ano, por exemplo, a procura por esses contratos cresceu 21%.

Marcelo Carvalho, presidente da empresa de assistência familiar, acredita que os números são o reflexo da mudança no comportamento da população, devido à incerteza em relação à segurança, além da crise econômica, que faz com que as pessoas se preocupem com antecedência quanto ao futuro de suas famílias, contratando seguros funerários e de vida.

“Diante da crise financeira e da crescente onda de violência que assola o estado do Rio de Janeiro, a procura por planos de auxílio funeral aumentou consideravelmente. Nossa meta é orientar a população para que, mesmo com a melhora desse panorama, o que nos deixaria muito felizes, pois também sofremos com esse cotidiano, essa procura não cesse, uma vez que nossos planos proporcionam benefícios para toda a família desfrutar em vida”, destaca Carvalho.

Vantagens durante a vida

O estigma que era presente no setor parece diminuir a partir da nova roupagem que as empresas têm dado aos serviços. Para lidar com um tema tão difícil, a Riopae decidiu criar um clube de vantagens para agregar valor ao serviço oferecido e fidelizar os clientes. Na prática, o pagamento das mensalidades garante uma série de descontos que vão desde academias, farmácias, universidades e consultas médicas até atenção veterinária para animais domésticos.

De acordo com Carvalho, essa mudança na forma de agregar valor a um serviço tão estigmatizado aumentou a taxa de retenção, que hoje é de 56% entre clientes que contratam o serviço durante um ano e renovam o contrato. Ainda segundo balanço da empresa, nos últimos cinco anos houve um aumento de 64% no número de contratos. No mesmo período, crescimento de 56% no número de associados. Atualmente, a empresa conta com 100 mil membros.

Há 18 anos, o assistente de logística Castilho Araújo da Costa, de 60 anos, contratou o plano de assistência familiar. Além dele, sua mãe utiliza os benefícios, e ele ainda garante não abrir mão das vantagens do contrato.

“Já utilizei muitos dos benefícios, principalmente a assistência médica. O atendimento é ótimo, preço razoável, gostei muito. Se as pessoas entendessem o que o plano oferece, muita gente teria. Hoje o plano é muito importante para nós”, relata Costa.

Dados da CNSeg

Conforme a pesquisa da CNSeg, a arrecadação dos Planos de Riscos em Cobertura de Pessoas, que contemplam seguros de vida, inadimplência e funerário, cresceu consideravelmente no Brasil. Os números mostram que, em janeiro deste ano, a arrecadação de seguros de carros foi de R$ 2,9 bilhões, uma redução de 1,5%. Já os seguros que oferecem cobertura a problemas pessoais no futuro, a receita foi de R$ 3,3 bilhões, um crescimento de 16,2% na comparação com o mesmo período de 2018.
Top